A peregrinação do povo de Israel até os limites de Canaã.

 

A peregrinação do povo de Israel

“Falou mais o SENHOR a Moisés no deserto de Sinai, na tenda da congregação, no primeiro dia do segundo mês, no segundo ano da sua saída da terra do Egito, dizendo:
Tomai a soma de toda a congregação dos filhos de Israel, segundo as suas famílias, segundo a casa de seus pais, conforme o número dos nomes de todo o homem, cabeça por cabeça;
Da idade de vinte anos para cima, todos os que em Israel podem sair à guerra, a estes contareis segundo os seus exércitos, tu e Arão”.
Números 1:1-3

O povo de Israel liderado por Moisés se aproxima da terra prometida, a terra que mana leite e mel. Se passou dois anos desde a saída do Egito, o povo, continuava provocando a ira do Senhor Deus com suas lamúrias e murmurações.

A saída do Egito foi comemorada com muita alegria e júbilo, porém, ao adentrarem no deserto a falta de fé do povo de Israel foi descoberta por causa dos anseios e falta de segurança que eles tinham em Deus, mesmo sendo testemunhas oculares dos grandes feitos realizados pelo Senhor: das pragas até a abertura do mar vermelho, da coluna de fogo ao maná que descia do céu, mesmo tendo todas as provas que o Senhor estava com eles, duvidaram e nas menores adversidades clamavam pelo Egito e pelo pão da escravidão ao invés de invocarem ao Senhor.

“E falou o SENHOR a Moisés, dizendo:
Envia homens que espiem a terra de Canaã, que eu hei de dar aos filhos de Israel; de cada tribo de seus pais enviareis um homem, sendo cada um príncipe entre eles”.
Números 13:1,2

Neste momento Moisés está nas proximidades da terra prometida, muitas pessoas acreditam que a jornada de Israel até Canaã durou quarenta anos, como se Moisés estivesse perdido no deserto sem direção; na verdade este fato é exposto sem os devidos detalhes, segue alguns pontos para que o leitor entenda melhor o que de fato aconteceu:

  1. Israel marchou sobre a direção de Moisés durante dois anos. Nm 1:1-3 . Ao receber as noticias dos espias que a terra era boa manava leite e mel, mas, havia muitos homens valentes em seus termos, o povo mais uma vez provoca  a ira ao Senhor: “Então toda a congregação levantou a sua voz; e o povo chorou naquela noite.
    E todos os filhos de Israel murmuraram contra Moisés e contra Arão; e toda a congregação lhes disse: Quem dera tivéssemos morrido na terra do Egito! ou, mesmo neste deserto!
    E por que o Senhor nos traz a esta terra, para cairmos à espada, e para que nossas mulheres e nossas crianças sejam por presa? Não nos seria melhor voltarmos ao Egito?
    E diziam uns aos outros: Constituamos um líder, e voltemos ao Egito”.
    Números 14:1-4

 

  1. A primeira geração é reprovada por Deus e condenada a peregrinar mais 38 anos pelo deserto.                                “Depois falou o Senhor a Moisés e a Arão dizendo:
    Até quando sofrerei esta má congregação, que murmura contra mim? Tenho ouvido as murmurações dos filhos de Israel, com que murmuram contra mim.
    Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor, que, como falastes aos meus ouvidos, assim farei a vós outros.
    Neste deserto cairão os vossos cadáveres, como também todos os que de vós foram contados segundo toda a vossa conta, de vinte anos para cima, os que dentre vós contra mim murmurastes;
    Não entrareis na terra, pela qual levantei a minha mão que vos faria habitar nela, salvo Calebe, filho de Jefoné, e Josué, filho de Num.                                                                                                                                                                Mas os vossos filhos, de que dizeis: Por presa serão, porei nela; e eles conhecerão a terra que vós desprezastes.
    Porém, quanto a vós, os vossos cadáveres cairão neste deserto.
    E vossos filhos pastorearão neste deserto quarenta anos, e levarão sobre si as vossas infidelidades, até que os vossos cadáveres se consumam neste deserto.
    Segundo o número dos dias em que espiastes esta terra, quarenta dias, cada dia representando um ano, levareis sobre vós as vossas iniqüidades quarenta anos, e conhecereis o meu afastamento.
    Eu, o Senhor, falei; assim farei a toda esta má congregação, que se levantou contra mim; neste deserto se consumirão, e aí falecerão”.
    Números 14:31-35
    Agora podemos  concluir que a primeira geração rebelde de Israel foi condenada pela suas próprias palavras de murmurações contra o Senhor, acabou se cumprindo o que eles haviam pedido, “que fora melhor morrer no deserto”.  A ordem foi dada mesmo o povo aparentemente contristado em ouvir que eles deveriam voltar pelo mesmo caminho que haviam passado tentou voltar atrás em suas palavras, porém, já era tarde demais! Convido o leitor a ler todo o cap: 14 de números.                                                                                                                  

  Agora sabemos o motivo da peregrinação no deserto; trinta e oito anos depois Moisés voltará naquele mesmo lugar, agora no monte Nebo, para avistar a terra prometida e ser recolhido para o Senhor Dt 33.34.    

Que o Senhor nos ajude a não murmurar contra o seu Santo Nome!

Que a ele nos preserve e nos ajude a perseverar até a nossa terra prometida que é o novo céu e a nova terra, sobre a direção do nosso Senhor Jesus e do Espírito Santo chegaremos lá!

Glória Somente a Deus!

Pr. Clóvis Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *